Rss Feed
  1. In the Kitchen with Alain Passard

    segunda-feira, 28 de abril de 2014


    Título: In the Kitchen with Alain Passard - Inside the World (and Mind) of a Master Chef
    Autor e ilustrador: Christophe Blain
    Tradutora (do francês para o inglês): Elizabeth Bell
    Editora: Chronicle Books
    Número de páginas: 96
    Ano de publicação: 2013
    Site do chef Alain Passard: http://www.alain-passard.com/

    ***

    Descobri este livro por acaso, quando estava olhando o site da Book Depository. Resolvi comprá-lo e, depois de quase dois meses, ele chegou. E não era bem o que eu esperava.

    Na verdade, não sei bem o que eu esperava, mas foi um pouco decepcionante. Talvez por já ter lido outras HQs envolvendo comida, achei essa HQ meio desprovida de "emoção". O quadrinista francês "só" descreve o que acontece no restaurante L'Arpège, do chef Alain Passard, em Paris. Não há histórias interessantes nem engraçadas nem emocionantes, e o autor também não comenta exatamente o que está sentindo enquanto acompanha a equipe do chef na cozinha (mas desenha coraçõezinhos ao redor de si mesmo quando a comida está muito boa - sim, o quadrinista tem a sorte de poder provar vários pratos no L'Arpège!).

    Christophe Blain

    O livro também contém receitas do chef Alain Passard, devidamente ilustradas por Blain.

    Alain Passard (segurando provavelmente um prato de "Coquilles Saint Jacques")

    O chef na versão de Blain

    Apesar de não ter gostado muito do livro em geral, gostei do traço do Blain e do fato de as receitas serem ilustradas - é ótimo para quem não entende direito as orientações apenas escritas!


    Sobre o restaurante L'Arpège, seu cardápio é constituído mais por vegetais, que é a especialidade do chef, além de vegetais "in natura" serem deixados como enfeites sobre as mesas dos clientes. O quadrinista, inclusive, foi visitar dois "jardins de cultivo" de Alain Passard, um na Normandia e outro em Sarthe - ambos na região norte da França. Nesses jardins são cultivados vários tipos de vegetais, que são colhidos e logo servidos no restaurante - e também vendidos para restaurantes próximos, pois há excedente.




    Depois de ler essa HQ, é possível ter ideia de como um restaurante luxuoso funciona. Também procurei comentários de quem já comeu no L'Arpège e as opiniões divergem, mas a maioria diz gostar do local - elas podem ser lidas aqui no TripAdvisor, onde também há várias fotos lindas dos pratos, tiradas por clientes. Quem não gostou, em geral, reclamou do atendimento e também dos preços, que parecem ser exorbitantes. Li um comentário que achei surpreendente: uma das clientes (que odiou o local) disse que os cardápios para as mulheres não vêm com os preços! Por esse detalhe, tive a impressão de se tratar de um restaurante meio ultrapassado. Que outro restaurante tem cardápios sem preços apenas para as clientes mulheres em pleno século XXI?

    De qualquer forma, gostei da proposta do chef Alain Passard, que, pelo que entendi, prima pelo uso de vegetais como os melhores e mais bonitos ingredientes a ser usados na alta gastronomia. E a apresentação dos pratos, em geral, muito colorida, é um espetáculo para os olhos - embora, talvez, a comida seja mais bonita que gostosa.

    Tentei fazer o bouquet de roses, uma "torta secreta" do chef, que a registrou e agora ela aparece com marca registrada ®. Essa receita não está no livro, mas me pareceu bem simples: massa folhada e tiras de maçã. Só que a minha não ficou muito boa - achei que era muita massa para pouco recheio. No entanto, a apresentação ficou bonita! :)



    ***

    Bouquet de roses (torta de maçã com massa folhada)


    Ingredientes:
    Massa folhada
    2 maçãs médias ou 3 pequenas (usei 3 maçãs da Turma da Mônica)
    mel
    canela
    margarina para untar


    Modo de preparo:

    Cortar as maçãs em tiras e cozinhá-las com um pouco de mel até ficarem macias/flexíveis.



    Cortar a massa folhada em tiras (cortei tiras de mais ou menos 6x3 cm).


    Untar a forma (usei uma forma com laterais removíveis, que é bastante prática) e forrar o fundo com um pedaço da massa folhada.


     Colocar as maçãs na massa folhada, enrolar e ir colocando na forma.





     Assar em fogo médio. Precisei deixar 2 horas para a massa ficar dourada.

    Depois de assado, cobrir com mel e polvilhar canela.


    Como sobrou massa folhada, fiz dois salgados com recheio de presunto e queijo que estavam na geladeira e ficaram bons - melhores que essa torta! :)


     ***
    Observação:
    Esse experimento culinário foi interessante porque precisei trabalhar com massa folhada, que eu nunca havia usado antes. Não tem muito segredo, é só moldar, cortar, rechear e colocar para assar. Da próxima vez tentarei fazer diferente. Cortarei cubos de maçã e cozinharei com açúcar e canela. Depois, colocarei em massa massa folhada cortada em retângulos de 20x12 cm (para depois dobrar e formar tortinhas fechadas de 10x6 cm). Aí é só assar e polvilhar um pouco de açúcar com canela sobre elas.
    |


  2. 0 comentários:

    Postar um comentário