Rss Feed
  1. O Clube do Picadinho

    domingo, 28 de julho de 2013


    Título: O Clube dos Anjos
    Autor: Luis Fernando Verissimo
    Editora: Objetiva
    Número de páginas: 130
    Ano de publicação: 1998
    ***

    O Clube dos Anjos faz parte da coleção Plenos Pecados, publicada pela Editora Objetiva entre o fim dos anos 1990 e início dos anos 2000, e cada volume aborda um pecado capital, sendo que o Verissimo foi incumbido de escrever uma história em torno da gula, meu pecado favorito.

    Livros da série Pecados Capitais

    O livro é escrito pelo narrador-personagem Daniel, único sobrevivente dessa história de suspense e humor e, logo nas primeiras páginas, já tenta convencer o leitor de que é inocente.

    Daniel namora Lívia, nutricionista e psicóloga, que não gosta muito dos amigos do namorado que fazem parte "Clube do Picadinho", cujos integrantes têm a mesma idade, são mais ou menos ricos e se reúnem para comer e beber. Lívia tentará convencer o namorado a parar com os jantares mensais quando descobre que os integrantes estão morrendo.

    Minha namorada, a coitada da Lívia, sempre diz que eu nunca sei de quanto espaço preciso, e que isso vem de uma infância de gordo mimado. Algo a ver com ser um filho único que nunca conheceu limites. A coitada da Lívia é psicóloga e nutricionista, há anos tenta me salvar.

    O "Clube do Picadinho", formado por dez amigos com nomes bíblicos (Samuel, Ramos, Pedro, Paulo, Saulo, Marcos, Tiago, João, Abel e Daniel), era uma homenagem ao picadinho que comiam no bar do Alberi. O número de componentes do grupo era sempre dez; quando Ramos, o fundador do clube, morreu de Aids, André o substituiu.

    De reuniões quase diárias no bar do Alberi, na adolescência, e do picadinho de carne com farofa de ovo e banana frita do Alberi que durante anos definiu o nosso gosto culinário, tínhamos progredido para jantares semanais em restaurantes diferentes, depois para reuniões mensais na casa de cada um.

    Daniel e Lucídio se conhecem "por acaso" em uma importadora de vinhos em um shopping e, por alguma razão, os dois vão tomar café e conversar. Nessa conversa, Daniel conta sobre o Clube do Picadinho e Lucídio o ouve com atenção, além de contar que faz parte de uma sociedade secreta que se reúne uma vez por ano no Japão para comer fugu, um peixe venenoso que pode matar se não for preparado com o devido cuidado. Essa história desperta o interesse e a simpatia de Daniel.

    Quando fica sabendo que Daniel será o próximo anfitrião a oferecer o jantar do Clube do Picadinho, Lucídio se oferece para ajudá-lo. Combinam que o prato a ser oferecido será boeuf bourguignon, um dos pratos que Lucídio aprendera a fazer quando morou em Paris, o preferido de Abel. 

    No dia do jantar, depois dos canapés e dos fundos de alcachofra, foi servido o boeuf bourguignon preparado por Lucídio, o que foi apreciado e elogiado por todos, especialmente Abel, que não recusou a última porção oferecida pelo cozinheiro. 

    - Eu só quero dizer uma coisa, Daniel. Sobre o seu jantar.
    Ficamos na expectativa. Abel enfatizou bem cada palavra.
    - Puta que os pariu!
    Todos aplaudiram. [...]

    Foi o último discurso que Abel fez, pois morreu naquela mesma noite.

    Lucídio continuou preparando os pratos dos jantares seguintes (paella, canard à l'orange, quiches, blanquette de veau, suflês, crepes com caviar...) e sempre um integrante do clube morria. Era sempre o que pedia a última porção que sobrava.

    O fim é rocambólico e eu não gostei muito. Talvez por ter sido um livro encomendado o Verissimo não conseguiu fechar de um jeito mais criativo ou talvez porque finais de livros de suspense humorístico não precisem ter muita coerência e nem ser verossímil mesmo.

    O mais engraçado do livro é que, mesmo desconfiando de que estavam sendo envenenados, os integrantes do Clube não queriam abrir mão dos jantares. Queriam ter o prazer de comer e beber bem, mesmo que fosse a última vez.

    Segundo Francine Prose (Gula, Coleção Sete Pecados Capitais, Editora Arx, 2004), a gula e a luxúria eram considerados pecados pela Igreja, pois estavam associados a prazeres dos sentidos - era aceitável comer para alimentar o corpo e fazer sexo para procriar, mas essas atividades não deveriam envolver prazer.

    Também havia a crença de que a gula poderia incitar os fiéis a cometerem os demais pecados, por isso, deveria ser evitada.

    A indulgência excessiva era convite fácil à luxúria, ira e preguiça. Em outras palavras, as seis filhas surgem em nosso comportamento quando estamos embriagados ou recheados de comida, quando comemos tanto que atingimos um estado de consciência - ou inconsciência - no qual paramos de pensar racionalmente e começamos a agir de maneiras que parecem melhor vistas do interior que do exterior. (Prose; p. 24-25)

    Para finalizar, uma curiosidade: a fim de contrapor os sete pecados, os teólogos cristãos classificaram as Sete Virtudes Celestiais - as cardinais: Prudência, Temperança, Justiça, Coragem, e as teológicas: Fé, Esperança e Caridade.

    Os outros seis títulos que compõem a Coleção Plenos Pecados são:

    Mal Secreto, de Zuenir Ventura (Inveja)
    Xadrez, Truco e outras Guerras, de José Roberto Torero (Ira)
    A Casa dos Budas Ditosos, de João Ubaldo Ribeiro (Luxúria)
    Canoas e Marolas, de João Gilberto Noll (Preguiça)
    Terapia, de Ariel Dorfman (Avareza)
    Voo da Rainha, de Tomás Eloy Martínez (Soberba)

    ***

    Picadinho de carne com legumes e purê de inhame

    Preparei essa receita em homenagem ao passado dos integrantes do Clube do Picadinho. Mas substituí a farofa de ovo e a banana frita por um purê de inhame.
    As receitas foram tiradas daqui.


    Picadinho

    Ingredientes:
    3 colheres (sopa) de óleo
    1 cebola picada
    600 g de carne cortada em cubos bem pequenos [não sei a diferença entre as carnes, mas usei coxão mole, pois vi em um site que era uma das carnes ideais para esse prato; outra opção é o acém]
    150 g de vagem picada
    1 cenoura grande picada
    1 lata de milho escorrida [usei meia lata]
    ½ xícara (chá) de caldo de carne
    Sal e pimenta a gosto
    Salsa picada a gosto [não usei]

    Modo de preparo:
    Em uma panela, aqueça o óleo e doure a cebola. Junte a carne e mexa sem parar, até dourar. 



    Acrescente a vagem, a cenoura, o milho e deixe refogar por 2 minutos, mexendo sempre para não grudar. Acrescente o caldo de carne, se necessário o sal, a pimenta e deixe cozinhar no fogo brando, com a panela tampada, até a carne e os legumes ficarem macios.


    Purê
    [fiz metade dessa receita]


    Ingredientes:
    1 kg de inhame
    4 xícaras (chá) de leite
    4 colheres (sopa) de manteiga
    Sal a gosto
    Salsa picada a gosto [não usei]

    Descasque e cozinhe na água os inhames até ficarem bem macios. Escorra-os e, ainda quentes, passe no espremedor. Em uma panela, coloque o inhame, o leite, a manteiga e o sal. Cozinhe por 4 minutos, mexendo sem parar. Salpique a salsa e sirva com o picadinho.
    |


  2. 0 comentários:

    Postar um comentário